22 de ago de 2014

A última poesia

~~*~~
Do que adianta eu viver uma eternidade,
se eu não posso ter você?
E para sempre sem seus beijos,
é só um castigo do destino.
~~*~~
Oh meu querido! Infelizmente eu não posso mudar que eu sou,
e esse é o peso que eu levo nas minhas asas.
Oh meu amor, por favor não se vá!
Abra seus olhos, olhe para mim de novo!
Fale comigo, me tire desa angustia.
Você quer que eu desça para o Inferno para pegar sua alma?
Não se preocupe,
eu fiz isso uma vez, e vou fazer sempre.
 Você está me escutando?
Por que você não se move meu querido?
Você não percebe que agindo assim meus olhos choram?
Por favor! Esse silêncio está me matando!
Minha alma está se desmanchando em um calabouço sem fim.
Você não pode partir, não agora!
Você me prometeu, se lembra?
Enquanto você me beijava,
enquanto você me despia,
você sussurrou ...
Sussurrou que sempre estaria aqui do meu lado
E eu olhei nos seus olhos,
eu entreguei mais do que meu corpo naquela noite,
eu entreguei minha existência a você,
mas agora nada adianta não é?
Nós perdemos a batalha não foi?
Você está morto não é?
Oh meu humano!
Desculpe-me por não ter conseguido te salvar
te salvar de você mesmo.
Eu vou cair meu amor,
eu vou cortar as minhas asas meu querido
eu quero descer, eu preciso descer.
Porque só assim eu vou poder te dá um último beijo.
Bem, essa foi uma pequena poesia sobre um anjo caído (um assunto que eu particularmente adoro! Mesmo sem acreditar em anjos de verdade) espero que vocês gostem! Fui eu mesma que fiz! Gosto muito de escrever poesia, principalmente sobre temas mitológicos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Não se acanhe, se quiser, deixe um comentário!