7 de mar de 2015

Eleanor e Park

Título: Eleanor e Park
Editora: Novo Século
Número de Páginas: 328
Nota: 4,3

A escritora
Quando eu comecei a ler Eleanor e Park, de Rainbow Rowell, eu percebi que possivelmente ela iria se tornar uma das minhas escritoras favoritas.
Depois de ler "Quem é você Alasca?" e "Mathilda Savitch" procurei mais livros desse tipo de literatura, e achei um sobre uma menina ruiva gordinha, que tem que dividir sua cama com um gato e o quarto com mais 4 irmãos e de um descendente de coreanos assumidamente geek. 
Li esse livro em plataforma digital, o segundo que eu leio com o LEV, leitor digital da saraiva, mas possivelmente eu vou comprar a versão física também. 
O livro
Pois bem, vamos ao que interessa. Rainbow é uma escritora americana muito aclamada do gênero YA (jovem adulto), escreve de uma maneira descontraída e simples, e isso ajuda a prender o leitor (e pode lembrar um pouco John Green, mas eu ainda prefiro ela). A história se passa na segunda metade dos anos oitenta, mas precisamente em 1986 (fato que no inicio me deixou um pouco confusa). Eleanor vem de um lar pobre, tem diversos problemas no lar (seus pais são separados, o pai constituiu uma nova família, tem uma condição financeira boa, mas infelizmente neglicencia os filhos do casamento anterior, já a mãe se casou com um cara que além de sempre agredir ela já chegou a expulsar Eleanor de casa). No primeiro dia do colégio novo, devido suas roupas velhas, seu cabelo cor de fogo e desgrenhado e por ser uma garota grande, a protagonista sofre o que hoje chamamos de bullying, mas consegue um lugar para sentar do lado de Park, um menino que vive na sombra do seu irmão mais novo e que é mais alto, filho de mãe coreana e de pai americano, e tem certeza que as garotas não se interessam por ele por ser "mestiço". Com o passar do tempo uma amizade o tanto peculiar surge entre os dois, graças a hqs de Watchman  um headphone e fitas de rock.
O casal, em uma das cenas mais lindas do livro.
Por causa do preconceito com Eleanor (que segue por um bom tempo na narrativa) eles evitam serem vistos juntos, mas isso é por pouco tempo, já que eles percebem que se gostam e começam a namorar escondidos. E é assim que começa os problemas para os dois, o padrasto da ruiva não aceita que ela namore com ninguém, e a mãe da personagem é totalmente submissa ao marido. Já a mãe de Park não acha que a menina é boa o suficiente para seu filho, mas a medida que Eleanor começa a passar a tarde na casa dos Park (sempre mentindo para sua mãe dizendo que vai estudar com uma amiga), a matriarca percebe que ela é uma boa menina. Esse é o memento mais feliz do livro, vemos esse casal descobrindo um ao outro no calor da adolescência, tendo suas primeiras experiencias, vemos Eleanor sorrindo e Park não sentindo vergonha de si mesmo.
Então acontece o fato triste ao qual o inicio do livro menciona, mas depois de tantas paginas acabamos não acreditando que algo ruim vai acontecer a eles. Não posso mencionar mais nada, mas espero que vocês tenham a oportunidade de ler esse livro maravilhoso. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo! Não se acanhe, se quiser, deixe um comentário!